Friday, November 19, 2010

o isqueiro vermelho

Uma noite mágica no NL, com os meus poderes de navegante da lua, conheci um rapaz. O processo foi o mesmo do costume, conheci e desconheci na mesma noite.
"Amigos da noite não valem a pena"
Tudo começou quando o sujeito me dá um isqueiro, pede para eu guardar e acrescenta "assim tenho um pretexto para falar contigo". E assim foi, cada vez que precisava acender o cigarro, o jovem pedi-me o isqueiro.
O individuo pediu-me o numero e eu, bêbada como uma cacho de uva americano, mas consciente do pedido, comecei uma longa conversa conversa com o objectivo de desviar o assunto
(no dia seguinte o isqueiro residia no meu bolso).
Uma semana e um dia depois (numa quarta-feira, eu adoro as quartas), recebi uma mensagem, enorme, no meu telemóvel. Era este jovem a mostrar-me que conseguiu o meu numero porque um amigo do amigo que é amigo do outro amigo do amigo amigo conhecia-me (ou pelo menos assim o diz) e deu-lhe o meu numero. "coincidência" diz ele. E tudo para me mostrar que consegui-a aquilo que queria.
Já me perguntei muitas vezes quem é o amigo do amigo que é amigo do outro amigo do amigo amigo, já lhe perguntei mas ele também não sabe ou não quer dizer.. oh!!!
Apelo, se és o amigo do amigo que é amigo do outro amigo do amigo amigo, denuncia-te que eu sei que lés isto!!

Descobri isto algueres pelo facebook, pelo menos fiquei com uma ideia de onde ele arranjou o meu numero!! Isso foi publicado num grupo do facebook com varias pessoas em comum comigo, logo alguma delas haveria de ter dado o meu numero, né?!

3 comments:

Daniela said...

Nao leu isto mas pelos vistos tb andava à tua procura... meu deus...

Daniela said...
This comment has been removed by the author.
Claudia Martins said...

estou impressionada com as tuas histórias!


beijinhos querida